As primeiras visitas


A família não se escolhe, tem-se. Uns têm mais sorte que outros, é um facto.

Geralmente os avós são aqueles segundos pais que nos mimam, que muito dificilmente não nos fazem as vontadinhas todas, e com os quais criamos uma cumplicidade sem igual.
O Francisco, faz parte do grupo que além de ter a sorte de ter todos os avós, tem uma sorte do caraças com os avós que tem.
Ainda me lembro da minha mãe me dizer quando eu estava grávida "eu não vou ser daquelas avós que o vai deixar fazer tudo."
Exaaaato, depois falamos, pensei eu.
E 19 meses depois do nascimento do "piqueno", quem é que continua a ter razão??
Euzinha of course!!
Obviamente que nunca o irá deixar ser malcriado ou até fazer alguma coisa que eu tenha pedido estritamente para não o fazer, mas será sempre aquela avó que diz "toma lá que a mãe não está a ver".

As nossas primeiras visitas foram a minha mãe e o Nuno, que embora não sendo meu pai, faz parte desta família e "adotou" o Kiko como qualquer outro avô babado. 
São aqueles avós que estão sempre presentes e fazem questão disso mesmo.
Não quero com isto dizer, que os outros avós não estejam, mas a vida de vez em quando faz com que uns estejam mais presentes que outros, sem com isso alterar o amor que ambos sentem por esta pequena criatura.

Mas agora irei falar especificamente destes avós, pois foram as nossas primeiras visitas.
Que amor entre estes 3 e que bom que foi tê-los cá.
São aqueles, que quando a nossa sanidade mental já está a ir pelos ares, nem precisamos de dizer nada, que eles seguram as rédeas.

Não são os típicos avós de cabelos brancos, até porque não têm idade para isso (seria no mínimo estranho) mas são uns avós iguais a tantos outros, com um coração de ouro. 
Não sei se são os melhores avós do mundo, mas de uma coisa tenho a certeza, são sem dúvida os melhores avós que o Francisco poderia ter.

Foram dias cheios de energia, alegria e boa disposição, em que palmilhámos Amesterdão como turistas, foram 3 dias maravilhosos. E que saudades que já tínhamos deles.
Acredito que tivessem mais saudades do Kiko do que nossas, perfeitamente compreensível, até porque com esta idade já não temos muita piada.
"Olá mãe" - digo eu.
"Olha o meu neto!!! Que saudades que eu tinha tuas!! Os papás levaram-te para longe de mim." - diz a minha mãe.
"Olá para ti também" - reforço.
"Olá filha, também gosto muito de ti".
Não preciso de dizer mais nada pois não!? 😁

Que continuem a fazer parte da vida do Francisco por muitos e largos anos, que as vossas histórias continuem a multiplicar-se e que nos venham visitar sempre que quiserem. O que irão fazer com toda a certeza. 

O Kiko na sua forma de falar meia holandesa, que não se percebe grande coisa, diz "obrigado vovós pela visita, gosto muito de vocês". 
Aaaaahh e nós também!! 

Um texto desta vez meio lamechas, mas a minha rica mãezinha sempre me disse "as verdades são para serem ditas". 

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Creche em Amesterdão

Portugal VS Holanda - parte I

Fim de semana pela Holanda (parte 1) - Volendam