Creche em Amesterdão


Este tema tem vindo a ser recorrente, posso até dizer, desde que o Francisco ainda estava na barriga.
Como trabalho de casa, nunca tive a ansiedade e/ou obrigatoriedade de o pôr numa creche com X meses. Sempre disse com toda a convicção que quando fizesse 1 ano ia para a creche que era essencial e blá blá blá. Aquelas coisas todas que dizemos antes ainda de sermos efetivamente mães e que depois devíamos bater na boca por dizer tanta coisa que não cumprimos. O típico "ai, o meu filho não vai fazer isto" "vai fazer aquilo", etc.
Chegou Setembro de 2017, altura em que fez 1 ano e afinal  ele ainda era tão pequenino, o mau tempo ia começar em breve, eu continuava em casa, portanto lá para Março, com um tempo melhor e ele bastante mais crescido (exato) parecia-me uma boa altura.
Heis que em Dezembro decidimos vir morar para Amesterdão, viemos em Fevereiro do ano seguinte, ora com todos os preparativos que tínhamos que fazer, com o frio que se fazia sentir na altura e como iria continuar em casa, decidimos então que o Francisco ia para creche aos 2 anos, ou seja, em Setembro/Outubro deste ano. Agora sim, é hora!! 
Decisão tomada, começámos a ver creches, o choque veio quando soubemos os valores praticados nesta terra!!! Ora bem, como já tinha referido numa publicação anterior em que falei sobre a primeira visita a uma creche holandesa, podem ler novamente aqui, a não ser que tenha mesmo que ser, até aos 3 anos não existe o hábito de deixar os miúdos na creche todos os dias durante todo o dia, então o objetivo seria colocar o Francisco durante 2 ou 3 manhãs por semana.
E agora já percebi porquê...
Duas manhãs por semana, ou seja, 10 horas semanais, sendo que 6 horas são passadas a brincar e 4 a dormir, esta pequena "brincadeira" custa nada mais nada menos que 400€/mês!!! WHAT?? Ora se quisesse pôr o Francisco todos os dias, durante todo o dia, nunca iria ser menos de 1200€/1300€.
Minha gente, nós aqui e em qualquer parte do mundo continuamos a ser muito ricos, mas umas ricas pessoas! Esta realidade para nós é um autêntico absurdo. Começámos então a fazer contas à vida e a ponderar a coisa, e chegámos à conclusão que pagar 400€/mês para o miúdo ir brincar e dormir durante 10 horas por semana nos parecia demais!! 
Continuámos a nossa pesquisa sobre as várias hipóteses e descobrimos que o governo Holandês dá um abono, consoante o rendimento dos pais, para ajudar nas despesas da creche. Se eu trabalha-se aqui, teríamos direito a este abono já de imediato, mas como não trabalho, não estamos elegíveis para nos candidatarmos. No entanto, descobrimos que a partir dos 2 anos e meio, basta que um dos pais trabalhe na Holanda e aí sim, podemos a partir desse momento pedir o abono, que embora não saibamos de quanto será, será sempre qualquer coisa. Não dizemos que não a ajudas possíveis! Posto isto, adiámos mais uma vez a entrada do Francisco na creche para os 2 anos e meio. Irá bater novamente numa altura em que o tempo, supostamente, irá começar a melhorar. Se o miúdo tivesse nascido noutro mês qualquer, certamente iria arranjar "outra desculpa" plausível. 
Ou seja, pelo o andar da carruagem, se continuamos a adiar, lá para os 18 anos irá finalmente.
Obviamente que isto é em tom de brincadeira, aos 18 anos ele já estará a trabalhar e a contribuir para as despesas.
Fora de brincadeiras, continuo a ser apologista que lhe fará tão bem a entrada para a creche, quanto a mim. Precisamos os dois deste tempo afastados, ele para socializar com crianças do tamanho dele, brincar sem a supervisão da mãe, e eu para estar umas horinhas sem precisar de me preocupar se ele está a subir à mesa da cozinha para roubar as bananas, ou se está a meter os dedos nas tomadas, ou apenas para trabalhar sossegada ou fazer NADA!! 
Vamos então esperar até Março do ano que vem, e depois aí logo saberão em primeira mão os acontecimentos.
Confesso que a bipolaridade maternal estava a vir outra vez ao de cima, queria tanto que ele fosse para a creche como queria que ele continuasse em casa. Há dias em que me apetece muitooooooo que ele vá para lá e outros em que me apetece muitooooo que ele não desgrude das minhas saias.
Enfim, daqui a 6 mesinhos espero mesmo que a coisa se dê de vez!!! #wishmeluck 
Até lá, vamos continuar a rir, respirar, brincar, ralhar, inspirar, e assistir (bem) de perto a todo o desenvolvimento da miniatura que passa cada vez mais depressa.

Beijinhos
Diana

Comentários

Mensagens populares deste blogue

1 ano..o rescaldo

Adultos precisam-se

Escapadinha de 3 dias - A começar por Bruges